Ir para o conteúdo
sindico profissional

Se você já ouviu falar em síndico profissional e síndico residente, algumas dúvidas podem ter surgido, como as atribuições, diferenças, vantagens e desvantagens que cada modelo pode apresentar. 

E para te ajudar a entender melhor esses dois tipos de síndicos, neste artigo você poderá tirar as suas principais dúvidas e respostas para este tema. 

Continue a leitura! 

Qual a diferença entre o síndico profissional e o síndico residente? 

O síndico é a pessoa responsável pela gestão do condomínio, seja vertical ou horizontal. 

Eleito pela Assembleia Geral dos Condôminos, ele é o responsável direto pela administração, disciplina, segurança, limpeza, regularidade e legalidade predial. Desse modo, existem dois tipos de síndicos: o profissional e o residente.   

O síndico profissional é um prestador de serviço, geralmente com formação no setor condominial, administração ou com anos de experiência na função, normalmente ele não mora no condomínio.  Já o residente, é, como o nome diz, um morador do condomínio em questão, e não necessariamente exige profissionalização, mas familiarização com os moradores.  

Outra diferença entre eles está na remuneração. O residente pode ter o valor descontado do seu condomínio ou receber uma quantia simbólica, ao contrário do contratado que receberá o valor vigente do mercado.   

Como se pode verificar, embora ambos tenham o objetivo de gerir o condomínio, alguns pontos os diferenciam.  

As principais vantagens e desvantagens do síndico profissional  

Para cada tipo de condomínio, existe um perfil de síndico que melhor se encaixa. 

Vejamos, por exemplo, a questão do síndico profissional ser alguém externo ao convívio social entre os moradores.  

Isso pode ser tanto um ponto positivo quanto negativo, já que ele não estará envolvido diretamente com as pessoas e problemas do condomínio, e poderá realizar a tomada de decisão de maneira imparcial. 

Além disso, um síndico profissional terá mais tempo para se dedicar nas questões fundamentais do condomínio. Tais como:  

  • Atenção qualificada para as mudanças na legislação;  
  • Dedicação aos novos modelos de gestão, possibilitando economia e eficiência para a administração da receita;  
  • Alerta total a modernizações que possibilitam mais segurança para todos;  
  • Disposição em encontrar fornecedores com preços mais justos.  

Para ter uma relação vigorosa com tudo que envolva a administração do condomínio, é importante que o síndico profissional mantenha uma agenda periódica para visitas presenciais.  

Assim, ele poderá conhecer melhor cada um dos colaboradores que fazem parte da equipe do condomínio, verificar a sua gestão de perto e pontuar problemas a serem resolvidos.  

A relação sólida com os membros do conselho e moradores também é importante. Com isso, ele consegue ter aliados para acompanhar a rotina do condomínio e avisar sobre temas relevantes e emergentes.   

O mais recomendável é que a inspeção seja previamente avisada para não perder tempo e conseguir atingir o objetivo de colher ideias e críticas dos moradores.  

Caso o seu condomínio tenha diversas torres e áreas externas de convívio social, é recomendado o síndico profissional, por a gestão ser mais complexa, demandando mais tempo de análise e desenvoltura.  

O que o síndico residente pode oferecer   

O síndico residente é aquele que tem maior familiaridade com as necessidades condominiais. Já que também vive a rotina do lugar, utiliza as áreas comuns, equipamentos, serviços prestados por fornecedores, funcionários e terceiros.  

Assim, ele também conhece os moradores. O que, em tese, este perfil seria o mais indicado para tomar decisões assertivas.   

Além disso, em alguns casos, existe a vantagem de o condomínio poder economizar com os serviços de um síndico morador, já que ele é remunerado por isenção da taxa condominial ou por um valor simbólico, inferior ao que ganha um síndico profissional.   

O síndico residente é mais indicado para condomínios com menos demandas de serviços, ou seja, pequeno e com poucas áreas de convivência.  

Visto que ele tem menos tempo e limitada profissionalização, em razão do seu trabalho como síndico não ser a sua única ocupação.  

Conhecer as diferenças e benefícios entre os dois tipos de síndicos pode trazer inúmeras vantagens para a gestão do seu condomínio. 

E se você quer manter-se atualizado sobre os principais temas relacionados ao gerenciamento de condomínios e como você pode desenvolver uma gestão com maior assertividade e eficiência, acompanhe a Attento no Instagram e Facebook! 

 

Role para cima