Ir para o conteúdo

Síndico: entenda quais são as suas atribuições

O escopo de atuação do síndico é composto por diversas responsabilidades. Sua gestão abrange diversas situações, desde as obrigações legislativas até resoluções de problemas. O trabalho desse profissional tem um enorme impacto no condomínio e no nível de satisfação dos moradores. 

Devido a isso, é necessário que quem ocupa o cargo cumpra uma série de obrigações. Pois, apesar de ter sido eleito como representante dos moradores e responsável por manter a organização geral do condomínio, o síndico não pode atuar da forma que desejar. É necessário entender que nessa função há limites, sendo importante observá-las para que o trabalho seja bem-sucedido. 

Quer saber mais sobre quais são as principais atribuições do síndico e o que não pode ser feito por ele? Então continue a leitura e entenda mais sobre o assunto. 

Principais atribuições do síndico 

Para uma boa gestão do condomínio é imprescindível que o síndico conheça muito bem suas atribuições e saiba quais são os seus deveres e direitos. Seja um síndico profissional ou um morador, a lei estabelece os limites para a sua atuação, possibilitando que exerça de forma mais segura e clara todas as suas ações. 

Entre suas principais incumbências estão: 

  • contratar os serviços necessários; 
  • contratar e demitir funcionários; 
  • zelar pela execução dos serviços contratados; 
  • manter as contas e gestão financeira em dia; 
  • fiscalizar e controlar a inadimplência; 
  • prezar pela segurança e bem-estar no condomínio; 
  • cumprir e zelar pelo cumprimento do regimento interno. 

Atividades que o síndico não pode fazer 

Como vimos, os serviços do síndico precisam respeitar os limites impostos pela lei. Dessa forma, garante-se uma melhor administração do local e, ainda, assegura-se mais tranquilidade para a pessoa que ocupa o cargo. 

Algumas das ações que o síndico não pode realizar são: 

  • descumprir o regimento interno; 
  • não respeitar o que foi decidido em votação; 
  • deixar de prestar contas; 
  • contratar serviços sem autorização ou que causem desequilíbrio às contas do condomínio; 
  • deixar de realizar os pagamentos sob sua responsabilidade; 
  • fazer cobranças de maneira constrangedora; 
  • impedir a entrada de visitantes autorizados; 
  • tratar de forma indevida os funcionários ou prestadores de serviços; 
  • não ouvir as requisições dos moradores; 
  • deixar de fazer comunicações necessárias aos moradores; 
  • reter documentos na troca de gestão; 
  • gerenciar o condomínio por período superior a dois anos. 

Boas práticas para uma ótima atuação 

Tendo em vista os deveres, os direitos e também as ações que são contrárias ao que o síndico pode fazer, torna-se mais fácil manter um trabalho de qualidade. Algumas atitudes podem ser implementadas por parte do profissional para ajudar em suas tarefas e para manter uma atmosfera de cooperação entre todos. 

Manter um bom planejamento, uma excelente comunicação e a transparência é o princípio para uma gestão de sucesso. Outro ponto importante é sempre observar o que diz a legislação. Além disso, um serviço de administração condominial pode trazer o auxílio que o síndico precisa. 

É bastante importante que o síndico tenha conhecimento de todas as suas responsabilidades e as execute de maneira a respeitar as limitações. Isso o ajudará a manter a ordem e o bom funcionamento do condomínio, garantindo uma melhor qualidade de vida para todos os moradores. 

Agora que você já compreendeu mais sobre o papel do síndico, aproveite para acompanhar nossas redes sociais e obter mais informações. Estamos no Instagram e no Facebook. 

Role para cima